armadilhas psicológicas

Cuidado! Essas 7 Armadilhas Psicológicas Afetam a Sua DecisãoTempo estimado: 4 minutos de leitura

Tomar decisões sensatas pode parecer muito fácil, mas apenas parece.

Tentando percorrer o caminho da racionalidade, nos deparamos com muitas armadilhas psicológicas e na maioria das vezes – por ser menos custoso ao cérebro – caímos em algumas delas.

Em nossa correria diária, quantas vezes temos tempo para parar e refletir, ponderar, cada assunto que nos é apresentado?

E ainda que tivéssemos, seria um enorme gasto energético buscar formular e reformular todas as novas questões que nos aparecessem.

U+2192.svg Nosso cérebro, sendo apenas 2% do nosso peso, custa ao nosso corpo em média 20% de energia.

Ou seja, todo gasto que possa ser economizado, o nosso cérebro fará questão de economizar.

Ele, por isso, nos levará aonde queremos chegar por meio de atalhos (heurísticas).

Atalhos cheios de armadilhas psicológicas.

O grande risco é que muitas vezes uma pequena decisão errada é devastadora.

Elas podem colocar tudo a perder e trazer danos irreparáveis em questão de segundos.

Vamos supor que você esteja em uma mesa de pôquer Texas Hold’em.

Segurando uma quadra (segundo grupo de cartas mais forte).

Desde as primeiras duas cartas parecia que jogo seria seu.

Iniciou com duas cartas de 9: tinha um 9 de espadas e um 9 de ouros.

Estava tão confiante com o seu jogo que acreditava ser impossível que os demais jogadores possuíssem cartas melhores.

U+2192.svg Você então dá All in sem prestar atenção na reação dos demais jogadores ao longo da partida.

Um jogador paga a sua aposta.

Para a sua surpresa – e surpresa de todos da mesa:

mostra um lindo straight flush (grupo mais forte de cartas)

Resultado de imagem para straight flush

Pois bem, você caiu numa bela armadilha psicológica – excesso de autoconfiança – e perdeu tudo o que tinha.

Já pode voltar chorando para casa.

7 Armadilhas Psicológicas

Os pesquisadores Hammond e Keeney contribuíram grandemente com a Economia Comportamental ( Afinal, o que é Economia Comportamental? ) ao trazerem pesquisas relacionadas às armadilhas psicológicas no processo de escolha.

Confira a seguir:

Ancoragem

A ancoragem é uma armadilha psicológica que nos leva a dar um peso desproporcional à primeira informação que recebemos.

Como você responderia a essas perguntas?

Pergunta 1: ”A população da Turquia é maior que 35 milhões?”

Pergunta 2: ”Qual a sua melhor estimativa acerca da população da Turquia? ”

Se você é como a maioria das pessoas, a sua resposta à segunda pergunta foi influenciada pela primeira pergunta.

Hammond e Keeney fizeram essa pergunta durante anos.

Em metade dos casos, a primeira pergunta substituía 35 milhões por 100 milhões.

O resultado foi que as pessoas que foram perguntadas com ”100 milhões” aumentaram em milhões a sua estimativa.

Ou seja, a primeira pergunta enviesou a segunda resposta. 

Como evitar?

  • Procure outras fontes de informação além da primeira que obteve.

Status Quo

O Status Quo é a tendência à buscar manter-se com as mesmas escolhas.

Essa armadilha psicológica vem de uma necessidade que temos de nos proteger de possíveis riscos frutos de uma nova escolha.

” Eu sempre fiz assim, por que agora faria diferente?”

A novidade traz grande resistência porque conhecer coisas novas – e optar por elas – faz com que gastemos muito mais energia do que permanecer no mesmo.

Como evitar?

  • Pergunte-se: o Status Quo realmente atende aos meus objetivos?
  • Pergunte-se: Se não fosse Status Quo ainda assim seria minha escolha?

Custo irrecuperável

É a tendencia de repetir os mesmos erros do passado com a intenção de justificá-los.

Há pouco tempo fiz uma compra pela internet.

Era um produto de cabelo de uma marca caríssima que eu gosto muito.

O grande problema é que a última vez que comprei dessa marca não obtive resultado positivo para o meu cabelo – só gastei muito.

Mas mesmo assim insisti em comprar o produto da mesma marca novamente.

Eu poderia ter pensado que a marca afinal não era isso tudo o que prometia, mas decidi manter o Status Quo e o Custo Irrecuperável e me justificar:

” Bem, talvez eu não tenha utilizado o produto direito.”

Ainda não usei, mas espero que mesmo tendo caído nessa armadilha, o produto realmente funcione como prometido. 

Como evitar?

  • Peça a opinião de pessoas que não estiveram envolvidas na primeira escolha.
  • Lembre-se que falhar é comum e tentar justificar as falhas ao invés de aceitá-las pode sair muito caro.

Confirmação de Evidencia

A confirmação de evidência ocorre quando buscamos informações que embasem nossos preconceitos. 

Veja também: 3 Motivos Pelos Quais as Pessoas Tem Medo de Bitcoin.

Essa tendência vem da nossa necessidade de nos sentirmos mais seguros e embasados acerca dos nossos posicionamentos.

Esse fenômeno explica também o porquê das fake news tomarem força com tanta velocidade: as pessoas têm necessidade de se sentirem certas em suas escolhas, não de necessariamente irem de encontro aos fatos.

Como evitar?

  • Confira se você está considerando todas as evidências.
  • Peça a algum amigo confiável para argumentar contra o seu posicionamento.

Excesso de autoconfiança

Essa tendência é a de se superestimar e não levar em consideração outros fatores envolvidos em uma escolha.

Assim como no exemplo do pôquer, se você não ponderar bem toda a situação, pode sair perdendo.

Como evitar?

  • Observe minuciosamente toda a situação. Um erro gravíssimo de segundos pode nos afetar para o resto da vida.

Prudência

Algumas vezes é importante saber arriscar e o excesso de prudência pode nos fazer perder grandes oportunidades.

Ainda no exemplo do jogo de pôquer, se o jogador que venceu não arriscasse por receio de seu oponente ter um Royal Straight Flush(combinação mais forte possível no Texas Hold’em), ele não teria vencido a partida.

Imagem relacionada

Como evitar?

  • Analise bem os prós e contras. O que se pode perder e o que se pode ganhar, pense em probabilidades e não deixe o medo te cegar Às boas oportunidades.

Rechamada

Esta armadilha é a tendência que temos a dar muito valor aos acontecimentos dramáticos que ouvimos, imaginando que a probabilidade que eles aconteçam novamente seja muito maior do que realmente é.

Muitas pessoas têm medo de avião por acreditarem que não é um meio de transporte seguro, porque viram na televisão algum caso específico sobre um determinado acidente aéreo.

Como evitar?

  • Pensar a respeito da probabilidade de um evento realmente acontecer.

 Infográfico

armadilhas psicológicas

 

Conclusão:

  • Buscando otimizar nosso tempo e nossas escolhas, o nosso cérebro nos leva por atalhos que muitas vezes podem nos fazer tomar decisões um tanto inadequadas.
  • A reflexão a respeito de nossas decisões ”automáticas” pode diminuir a frequência com que somos previsivelmente irracionais em decisões sérias.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *