3 Motivos Pelos Quais Você tem Medo do Bitcoin


Como entusiasta Bitcoin, eu sempre me pergunto:

” O que faria com que mais pessoas começassem a aderir  à tecnologia?”

Esse questionamento já me fez refletir muito.

Afinal, além de entusiasta Bitcoin, respiro Economia Comportamental,  e o comportamento das pessoas me fascina.

O Que é Bitcoin?

bitcoin

Na história do Bitcoin temos um personagem misterioso: Satoshi Nakamoto.

No ano de 2008,  Nakamoto projetou o que seria uma das tecnologias mais revolucionárias de todos os tempos: o protocolo Bitcoin.

Em seu whitepaper, o Bitcoin é apresentado como ” A Peer-to-Peer eletronic cash system”,o que traduzindo para o português significa mais ou menos:

“Um sistema de dinheiro eletrônico de pessoa para pessoa”.

O Problema

Como toda grande invenção veio de um problema, com o Bitcoin não foi diferente.

O criador do protocolo Bitcoin também buscava resolver um problema:

As transações de compras via internet até então possuíam sempre três partes:

  • duas partes interessadas ( eu e você, por exemplo)
  • e um intermediário que buscará assegurar que a transação seja conforme o combinado (o banco).

O problema dessa forma de fazer transações é que como as instituições financeiras trabalham como a parte confiável e mediadora das transações, elas :

  • Demoram um certo tempo para a efetuação da validação.
  • Tornam as transações relativamente mais caras.

Para contornar essa situação, Satoshi Nakamoto propôs um sistema eletrônico de pagamento que utiliza criptografia para a transferência de valores de uma pessoa para outra.

Neste sistema, todas as transações criptográficas seriam computadas e impossíveis de serem revertidas ou fraudada.

Tornando, assim, dispensável o uso de instituições financeiras como intermediárias.

Ou seja:

Hoje – graças ao Bitcoin – eu posso transferir dinheiro para o outro lado do mundo em menos de 10 minutos. 

o que é bitcoin?

Veja só: não é preciso nem ter um cartão de banco, não é preciso pegar filas, nem precisa sair de casa…é mais fácil, mais rápido, mais seguro.

Mas por que será que algumas pessoas ainda fazem cara feia diante dessa tecnologia, se ela veio justamente para nos ajudar?

O desconhecido nos assusta

Nós não gostamos de mudanças. Mudanças criam um grande desconforto porque mudar causa maior desgaste ao nosso psiquismo.

A manutenção de um estado tende a ser muito mais confortável do que ficar diante de algo novo onde teremos que nos atualizar, atualizar a nossa visão de mundo, deixar de lado velhos conceitos e preconceitos que durante ANOS foram construídos.

Em suma: entrar em contato com o novo é ter de enfrentar o desconhecido. 

Quando vemos algo até então desconhecido, o nosso cérebro busca por heurísticas – ou seja, atalhos mentais – que busquem identificar semelhanças entre o novo caminho e experiências passadas – vividas por nós mesmos ou por outros.

Tais heurísticas nos ajudam a tomar decisões mais rapidamente, entretanto nem sempre serão as melhores escolhas.

As Armadilhas Psicológicas

No artigo The Hidden Traps in Decision Making de Hammond, Keeney e Raiffa, são apresentadas algumas Armadilhas Psicológicas que nos fazem tomar decisões erradas visando a nossa própria segurança.

Enquanto lia o artigo, pensava sobre Bitcoin:

Inúmeras vezes ouvi pessoas falando frases que mostravam nitidamente algumas armadilhas psicológicas.

O Status Quo

Ja ouvi:

” Por que eu vou usar esse tal de bitcoin se eu tenho dinheiro de verdade e funciona muito bem?”

A armadilha do Status Quo é aquela que nos faz tomar certas decisões de acordo com o que sempre fazemos.

Essa armadilha psicológica nos mantém fazendo sempre as mesmas coisas pela segurança de obter os mesmos resultados, em detrimento de possíveis perdas ao tomar uma nova atitude.

U+2192.svg O rompimento com o Status Quo nos chama à responsabilidade de arcar com os resultados dessa mudança, aumenta as chances de arrependimento e de um posicionamento autocrítico.

A lógica é que manter o status quo do papel moeda é psicologicamente mais seguro e confortável.

Porque é o habitual, todos vem usando e vem funcionando nas transações financeiras do dia-a-dia, ainda que o Bitcoin seja menos burocrático.

Confirmação de Evidência

Já ouvi:

”Você me falou sobre esse tal de bitcoin e eu dei uma pesquisada. Só encontrei notícias que confirmaram o que eu já achava: bitcoin é moeda de bandido.”

Isso não é verdade mas para essa pessoa, ela pesquisava sobre a tecnologia de forma completamente imparcial.

Eis aqui outra armadilha.

Se já temos uma ideia sobre algo – embora não tenhamos profundidade acerca do tema – a nossa tendência é procurar por notícias que apoiem  a nossa ideia inicial.

Essa pessoa certamente passou por notícias que diziam o oposto – ou até procurou EXATAMENTE por matérias que só diziam o que ela queria ler.

Ela não buscava aprender mais sobre o assunto, ela pretendia encontrar validação.

Falando assim pode até parecer desonesto, mas não se trata disso.

Trata-se apenas da nossa tendência de sempre recorrermos à atalhos para escolhermos mais rapidamente e sem muito custo de energia.

U+2192.svg Buscar confirmar nosso posicionamento, além de nos manter seguros com relação ao status quo, encontra comprovação social.

Ou seja, apoia-se também na visão de outras pessoas. 

Rechamada

Já ouvi: 

” Ah, mas esse negócio que você tá me falando me lembra muito o Avestruz Master.”

” Que!? tipo kriptacoin!? Para com isso, menina!”

” Isso me lembra muito aquela história das Tulipas na Holanda. Você já ouviu?”

A armadilha psicológica da rechamada é, sem dúvida,  muito popular.

Todos nós já ouvimos histórias semelhantes.

A rechamada é a tendência que temos a recorrer a eventos dramáticos que conhecemos para analisar novos eventos, a fim de nos defendermos de possíveis perdas.

Até que seja explicada a diferença entre um evento e outro, as pessoas podem apresentar muita resistência.

Até mesmo depois da explicação, as pessoas podem não aceitar que há diferença.

Porque no final das contas, as pessoas já criaram uma imagem do tal evento e não estão dispostas à sair do status quo. 

Leia mais sobre Armadilhas Psicológicas >>> aqui  <<<

Concluindo

  • As pessoas temem mudanças porque terão que enfrentar o desconhecido.
  • Enfrentar o desconhecido requer gasto energético e a nossa tendência é economizar energia.
  • As armadilhas psicológicas são atalhos que frequentemente utilizamos para fazer escolhas de forma rápida e com menor custo – escolhas rápidas e menos custosas, tipo as transações com criptomoedas.
  • A forma de burlar estas tendências é pensar se suas escolhas visam apenas a manutenção do status quo.
  • Muitas pessoas não compram Bitcoin porque não querem romper com a resistência da mudança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.