poder da psicoterapia

O Poder da Psicoterapia – A Economia Comportamental ExplicaTempo estimado: 3 minutos de leitura

Seja por conflitos pessoais, existenciais, familiares ou trabalhistas, as pessoas que procuravam psicoterapia tinham algo em comum: uma história a qual gostariam de esquecer.

E a psicoterapia, por sua vez, oferece ferramentas que proporcionam uma Mudança de perspectiva.

Uma História, Várias versões

Diante de uma grande quantidade de formas de interpretar uma determinada situação, será que toda história possui apenas UMA versão correta?

Uma história, formada por uma infinidade de elementos e contextos, diante de mais de uma pessoa, poderá ser replicada das mais diferentes formas.

A maneira pela qual a nossa subjetividade interpreta e repassa uma história não é – necessariamente – verdade, mas também não pode ser considerada falsa.

Às vezes, é tudo uma questão de ponto de vista.

Em um dos meus primeiros contatos com a prática da psicoterapia, um caso clínico teve uma grande importância para a minha formação por me mostrar que às vezes, é tudo uma questão de ponto de vista. 

Um rapaz  – vamos chamá-lo aqui pelo pseudônimo Rafael – tinha uma relação muito interessante com o controle: segundo ele, o que mais doía nele era não ter o controle de tudo.

Para ele, era angustiante imaginar uma cena, pensar em todos os elementos do que poderia vir a acontecer em um futuro próximo e – quando confrontado com a realidade – ver que nada estava como planejado.

Algumas sessões se passaram e ele seguia com a angústia da impotência.

Durante uma sessão, ele me disse:

“Na minha cabeça as coisas acontecem como se tudo fosse um filme e eu sou o diretor.” 

Notei que essa forma de enxergar a vida o angustiava porque não havia como ter controle de tudo.

Questionei:

E se, ao invés de enxergar como um filme, você enxergasse a vida como um teatro?

A vida é um teatro!

poder da psicoterapia

Expliquei:

“Ao enxergar a vida como teatro, você terá de admitir as falhas, terá que aceitar a possibilidade do improviso.”

Na vida real não há cortes, edições nem efeitos especiais.

Os bons atores, mesmo errando, conseguirão interpretar seus papeis, improvisar, viver e ainda receber aplausos.

E o diretor de teatro, por sua vez, precisará compreender que não terá o domínio sobre todas as situações e apreciará a beleza de um improviso bem feito.

Nada está sob controle.

Na sessão seguinte, ele retornou compartilhando como essa mudança de perspectiva afetou positivamente a sua forma de lidar com as frustrações do dia-a-dia.

O Grande Poder da Psicoterapia

A psicoterapia promove um espaço de fala e reflexão.

A fala tem por objetivo fazer  com que as demandas do próprio paciente tornem-se mais claras para ele e – com a ajuda do psicoterapeuta – possa acontecer um momento de reflexão.

Ao compreender todo o cenário – bem como seus elementos – se pode entender como a história afeta o sujeito.

Frequentemente, as pessoas que buscam por psicoterapia – em essência – têm um problema em comum: independente do que as tenha levado à procura de um profissional da saúde mental, elas não se enxergam como protagonistas de algumas – ou todas – de suas histórias de vida.

Possuir o poder sobre sua história de vida é  – ao mesmo tempo – uma experiência libertadora e um contato maior com a responsabilidade sobre vitórias e derrotas.

Imagem relacionada

Conhecer a si mesmo e enxergar-se como personagem principal e autônomo em sua própria vida é a chave para resolver os próprios conflitos com sabedoria.

A Economia Comportamental e o Bem-Estar

Vamos imaginar que você recebeu uma ligação hoje com uma notícia.

Você pode decidir como irá interpretá-la.

Qual dessas opções é mais agradável de conceber?

  1. Você sofreu uma perda.
  2. Você ganhou a oportunidade de tentar algo novo.

Poder escolher como encarar algo novo que te acontece é justamente a autonomia e protagonismo que conseguirá mudar o quadro que a vida te apresenta.

A mudança de perspectiva traz efeitos terapêuticos, e, ao ser estudada pela Economia Comportamental, adquire o nome de efeito Framing (ou enquadramento), quando você escolhe tomar determinada decisão de acordo com a realidade que lhe é mostrada

A teoria do Prospecto

A teoria do Prospecto de Tversky e Kahneman distingue o processo de decisão em duas etapas:

  1. Na primeira etapa, a decisão é estruturada (decision framing);
  2. Na segunda etapa, o tomador de decisão avalia cada alternativa para enfim fazer a sua escolha. Na hora de escolher uma opção, o sujeito levará em consideração fatores pessoais, culturais e a forma como os problemas são apresentados. 

Ou seja, o enquadramento – ou efeito framing – nada mais é do que o resultado da etapa 2 dependendo diretamente de como a decisão é estruturada (etapa 1).

Desta forma, consegue-se compreender como a mudança na forma de enxergar, pensar e narrar sua história de vida pode trazer efeitos positivos e avanços nos processos psicoterápicos.

Concluindo

  • Na maioria das vezes, os problemas das pessoas está no fato de se sentirem impotentes diante de algum fato.
  • Adquirir autonomia e protagonismo são passos importantes para a efetividade do processo terapêutico.
  • O efeito do enquadramento nos ajuda a mudar a forma como enxergamos a situação apresentada e – consequentemente – como fazemos nossas escolhas e como nos sentimos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *