Conte Boas Histórias e Ganhe Seguidores – O Poder do Storytelling


Posso dizer que sem dúvida o Storytelling marcou minha vida, porque uma das memórias mais marcantes que tenho da minha infância é a da minha tia me contando histórias para dormir.

Antes de dormir, lá estava a minha tia lendo para mim As Mil e Uma Noites.

Eu era muito nova e não era capaz de memorizar as histórias, mas nunca me esqueci daqueles breves momentos antes de adormecer.

Foi refletindo sobre essa parte da minha infância que decidi compartilhar um pouco sobre o poder que têm as boas histórias.

Abstract islamic background with silhouette

Sendo um compilado de contos de origem persa, indiana e árabe, As Mil e Uma Noites conta a história de um sultão que descobriu a traição de sua esposa e, desiludido com as mulheres, decretou que todos os dias se casaria com uma mulher do reino e, no dia seguinte, a mataria para que nenhuma mulher tivesse a oportunidade de traí-lo novamente.

A peça chave desta história chama-se Sherazade, a filha do vizir do sultão que se voluntariou a casar-se com ele, com a promessa de que o faria desistir deste decreto de uma vez por todas. E ela conseguiu. 

Mas como uma única mulher conseguiu fazer com que os planos do inflexível e desiludido Sultão fossem frustrados?

Ela contou histórias.

Sim, na primeira noite com o Sultão, Sherazade começou a contar uma história que, de tão interessante, prendeu a atenção do rei por toda a noite e que, ao amanhecer do dia seguinte, ainda não tinha chegado ao fim.

Na manhã seguinte, o Sultão não quis matá-la, tamanha era a curiosidade sobre o fim daquela história que ele poderia esperar até o outro dia para cumprir a sua promessa.

Mas tão sábia era Sherazade que não deixou a história acabar e contando uma infinidade de histórias se passaram Mil e uma Noites.

Tudo bem, na ficção tudo é possível, entretanto um elemento facilmente corresponde à realidade.

O Ser Humano Adora Histórias – E Você Pode Tirar Vantagem Disso

Prehistoric stone age caveman composition

Ao longo de toda a história da humanidade conseguimos perceber a existência do Storytelling – até mesmo antes da escrita e da fala. As histórias vinham pintadas em cavernas, esculpidas, faladas e depois escritas.

A tradição de contar histórias explicava fenômenos, causalidades, relacionavam elementos e transmitiam ensinamentos.

O primeiro contato dos nossos ancestrais com o Storytelling foi através nas pinturas em rochas e cavernas.

Não existindo linguagem ou alfabeto, as pinturas eram a única forma de expressar suas ideias sobre outro humano ou sobre animais.

Algum tempo depois – com o advento de signos e do alfabeto – as histórias eram passadas de geração à geração esculpidas em rochas.

Após o advento do alfabeto muitas pessoas se tornaram contadoras de histórias profissionais. Elas optavam por ler e memorizar histórias para que fossem repassadas e os seus ensinamentos alcançassem mais pessoas.

storytelling

Contar histórias passou a ser o melhor meio de transmitir Educação, princípios e manter o legado da cultura de nossos antepassados.

Segundo o biólogo evolucionista e paleontólogo Stephen Jay Gould, “nós somos criaturas contadoras de histórias e deveríamos nos chamar Homo narrator, que parece muito mais adequado do que o – às vezes – inapropriado termo Homo sapiens.”

Se pararmos para analisar, tudo é história e nossas vidas são compostas por um compilado de narrativas. Tudo o que envolve uma boa história – especialmente se os personagens forem figuras humanas – nos chama a atenção.

E é sabendo disso que as empresas, ao fazerem propaganda de seus produtos, buscam mostrar situações em que pessoas aparecem protagonistas em uma situação em que o produto se torna um acessório e não o principal do comercial.

Use Storytelling e Ganhe a Atenção das Pessoas

Estudos recentes mostraram forte correlação entre Storytelling e a produção da ocitocina, o “hormônio do amor”.

Pesquisadores selecionaram pequenas narrativas em vídeos para apresentar aos voluntários e, ao final, medir a ocitocina produzida pelo cérebro. Com as amostras de sangue dos voluntários antes e depois da narrativa, foi descoberto que as histórias  produziam considerável aumento no hormônio da ocitocina.

Quando o nosso cérebro produz ocitocina, a nossa tendência é que desenvolvamos mais empatia pelo outro. Quanto maior a quantidade de ocitocina, mais estamos inclinados a ajudar aos outros, compartilhar de suas alegrias e de suas dores.

Indo mais além neste Estudo, os pesquisadores descobriram também que para que o Storytelling seja promissor no objetivo de conquistar a empatia das pessoas, é necessário que a história consiga prender a atenção do ouvinte/espectador (recurso extremamente escasso) por meio de tensões ao longo da narrativa.

Ou seja, uma boa história é aquela que cria tensão no ouvinte/espectador para reter a atenção.

Se a história for capaz de criar essa tensão, então provavelmente o ouvinte/espectador atento compartilhará as emoções dos personagens e mesmo após o fim da história, sentirá inspiração para imitar os sentimentos e comportamentos dos personagens.

Use Storytelling Para Mostrar uma Nova Perspectiva

Outra verdade sobre nós é que não somos muito fãs das mudanças, e isso é explicado pelo Viés do Status Quo, estudado pela Economia Comportamental.

O Viés do Status Quo é observado quando, mesmo diante de uma opção mais favorável, nós decidimos manter a mesma decisão de sempre (opção padrão).

Essa escolha não diz respeito apenas aos produtos que decidimos comprar ou hábitos que mantemos em nossa rotina, esse viés também explica porque preferimos manter preconceitos antigos ao invés de superá-los.

O Storytelling também pode ajudar pessoas a vencerem preconceitos, uma vez que as pessoas resistem ferrenhamente à mudança, porém nunca à uma boa história.

Ao apresentar uma nova perspectiva dentro de uma história é possível promover a reflexão.

O Poder do Storytelling

storytelling

 

Infográfico

 

De modo bem sintético, é possível listar alguns motivos pelos quais a narrativa bem estruturada é tão poderosa ferramenta:

  • Histórias sempre foram a forma pela qual os nossos ancestrais se comunicavam. Elas são links intertemporais que nos ensinam tradições, lendas, símbolos, arquétipos e mitos.
  • Histórias aumentam o nosso repertório e estimulam a nossa imaginação.
  • Histórias nos unem e nos conectam. Com histórias desenvolvemos mais a nossa empatia, pois no campo da narrativa podemos compartilhar experiências, propósitos e semelhanças.
  • Histórias promovem a organização. Elas mostram modelos de como agir e como não agir em sociedade, assim como suas possíveis consequências.
  • Histórias promovem uma nova forma de enxergar o mundo, quebram barreiras e vencem preconceitos.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.